Proteja-se Contra COVID-19

DEFINIÇÃO E CAUSAS

DEFINIÇÃO:

O que é coronavírus?

Os coronavírus (CoV) são uma grande família de vírus que causam uma variedade de doenças, desde um resfriado comum leve a doenças mais graves, como pneumonia (infecção pulmonar). Esses vírus podem causar doenças em humanos e animais; raramente, o corona vírus animal pode infectar pessoas e esses podem se espalhar de pessoa para pessoa através de contato próximo, por exemplo, em casa, trabalho, centros de saúde (hospitais, asilos). O mais recente descoberto corona vírus causa doença chamada corona (COVID19).

Dentre os COVID19, outros corona vírus que podem ser transmitidos para humanos e causam doenças serias são:

  • Síndrome respiratória aguda grave (SARS CoV)
  • Corona vírus da síndrome respiratória do oriente médio (MERS CoV)

Corona significa coroa, corona vírus são nomeados pela sua aparência, a cadeia proteica externa se assemelha com uma coroa. 

O que é COVID-19?

A doença corona vírus de 2019 ou COVID-19 é uma doença infecciosa causada pela a nova família chamada SARS-CoV-2 (Síndrome respiratória aguda grave – corona vírus 2), que foi primeiramente descoberta em 2019 e não foi previamente identificada em humanos. Esse tipo de corona vírus era desconhecida até que aconteceu o surto respiratório em Wuhan – China, liderando a identificação do novo tipo de corona vírus como a causa raiz da doença respiratória agora conhecida como COVID-19.

O COVID-19 é o nome dado pela Organização mundial da Saúde (OMS) em 11 de fevereiro, 2020. O nome “COVID-19”, significa “CO” – corona, “VI” – vírus e “D” – doença. O 19 é para 2019, o ano em que a doença apareceu na China.

Causa:

Não é claro como o vírus contagia. O vírus pode se espalhar de pessoa para pessoa pelas gotículas liberadas quando a pessoa infectada tosse, espirra ou exala. O indivíduo pode ser infectado através:

  • Contato próximo com uma pessoa infectada, normalmente dentro de 2m de distancia
  • Tocando objetos contaminados ou superfícies (como maçaneta de portas, mesas ou telefones), então tocando os olhos, nariz ou boca antes de lavar as mãos. 
  • Respirando no ambiente em que a pessoa contaminada tossiu ou exalou gotículas contaminadas com o vírus. 

Atualmente, especialistas da saúde acreditam que COVID-19 não pode ser espalhado através do ar em longas distancias ou tempo e é principalmente transmitido através do contato com gotículas da respiração. Essas gotículas são tão grandes e pesadas que elas flutuam no ar por longas distancias, então rapidamente aterrissam em objetos e superfícies por volta da pessoa que tosse ou espirra, fazendo com que a área em volta da pessoa seja infectada. Essas gotículas normalmente se espalham em 1 – 2m, consequentemente “distanciamento social” medida enfatizada no distanciamento entre pessoas.

Por quanto tempo o COVID-19 pode sobreviver em superfícies?

Não se tem certeza de quanto tempo o COVID-19 pode sobreviver em superfícies. É geralmente assumido que o vírus possa sobreviver por poucas horas ou até por muitos dias dependendo do tipo de superfície, temperatura, humidade ou ambiente e alguns outros fatores. Estudos atuais sugerem que COVID-19 tem a capacidade infecciosa de sobreviver:

  • No ar: pelo menos 3 horas
  • Plástico ou aço inoxidável: pelo menos 72h
  • Papelão: aproximadamente 24h
  • Cobre: pelo menos 4h

Sintomas:

O indivíduo infectado com COVID-19 poderá ter poucos ou ser assintomático ou os sintomas poderão ser como qualquer outra doença respiratória como por exemplo, gripe ou resfriado. Sintomas poderão aparecer em 2 a 14 dias após a exposição ao COVID-19, na maioria dos casos, os sintomas aparecerão em 4-5 dias após a exposição. Os sintomas mais comuns são:

  • Febre
  • Tosse
  • Respiração curta ou dificuldade em respirar
  • Espirro
  • Dor de garganta
  • Cansaço excessivo

Em crianças os sintomas podem ser:

  • Diarreia
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Letargia
  • Falta de apetite

Geralmente, as pessoas podem se recuperar sem nenhum tratamento especial, porem em alguns casos a doença pode progredir para sintomas mais graves como pneumonia, bronquite, falência dos rins e evoluir para a morte da pessoa infectada. Principalmente em pessoas com doenças de alto risco, idosos ou com doenças pré-existente como diabetes, doenças do coração ou fraco sistema imunológico.

Se você apresentar sintomas:

  • Fique em casa 
  • Ligue para o centro de assistência local à saúde da sua região para se informar sobre o teste
  • Não vá a nenhum centro de emergência a não ser que você realmente necessite tratamento de emergência.

Em caso se emergência médica:

  • Ligue 193
  • Notifique o atendente sobre a razão da emergência e se você suspeita que esteja com COVID-19 ou se expos ao vírus.
  • Se possível use uma máscara antes que o serviço de emergência chegue ao local do atendimento.

Como diferenciar entre COVID-19, gripe e resfriado:

SINTOMAS COVID-19 GRIPE RESFRIADO
Início dos sintomas Gradual Abrupto Gradual
Febre Comum Comum Raro
Tosse Comum (geralmente tosse seca) Comum (geralmente tosse seca) Leve
Dor de garganta Às vezes Às vezes Comum
Cansaço Às vezes Comum Às vezes
Corisa Raro Às vezes Comum
Falta de ar Às vezes Não Não
Dores Às vezes Comum Comum
Dor de cabeça Às vezes Comum Raro
Diarreia Às vezes Raro Não
Espirros Não Não Comum

Investigações e Tratamento:

INVESTIGAÇÃO:

Suspeita-se de infecção por coronavírus (COVID-19) com base nos sintomas e o diagnóstico é confirmado por meio de exames laboratoriais. É recomendável e muito importante que todos se auto-isolem por 14 dias após retornar de viagens do exterior e fazer auto-avaliações; se nenhum sintoma estiver presente, monitore-o por 14 dias. Se possível, ajude aqueles que necessitam de auto-avaliação e auto-monitoramento, mas não conseguem fazê-lo sozinhos.

AUTOAVALIAÇÃO:

Se você estiver se sentindo mal com algum dos seguintes sintomas:

  • Febre, tosse ou dificuldade em respirar (ou uma combinação desses sintomas);
  • Dor muscular, fadiga, dor de cabeça, dor de garganta, coriza ou diarreia;
  • Os sintomas em crianças pequenas também podem incluir letargia, má alimentação, diarreia, corrimento nasal e dor de garganta,

E se você :

  • Viajou para fora do país de residência nos últimos 14 dias;
  • Esteve em contato próximo com alguém que tem um caso confirmado ou provável de infecção por COVID-19 (por exemplo, alguém em sua casa ou local de trabalho);
  • Manteve contato próximo com uma pessoa doente com sintomas respiratórios (por exemplo, febre, tosse ou dificuldade em respirar) que viajou recentemente para fora do país de residência.

Se você respondeu sim a essas perguntas, deve procurar uma avaliação clínica do COVID-19 por telefone e pode precisar de um teste de laboratório para confirmar o diagnóstico.

  • Entre em contato com a linha de apoio local de Coronavírus (COVID-19) ou um profissional de saúde ou Autoridade de Saúde Pública e informe-os de que você usou esta ferramenta de auto-avaliação.

Se você respondeu não a essas perguntas, é improvável que você tenha o COVID-19.

Recomendamos que:

  • Continue o auto-monitoramento de sua saúde e talvez você precise se auto-isolar por 14 dias completos após o seu retorno ao seu país de residência ou se você teve contato com alguém que está doente. Se você desenvolver novos sintomas, procure avaliação clínica e teste para COVID-19.

AUTO-MONITORAMENTO: 

O que é por que você precisa se auto-monitorar?

Você não tem sintomas e

  • Existe uma razão para acreditar que você foi exposto a uma pessoa com COVID-19;
  • Você está em contato próximo com adultos mais velhos ou pessoas clinicamente vulneráveis;
  • Você foi aconselhado a se monitorar por qualquer outro motivo por sua Autoridade de Saúde Pública.

O que fazer no auto-monitoramento?

  • Monitore-se por 14 dias para um ou mais sinais e sintomas de COVID-19, como:

– Febre (meça e registre a temperatura duas vezes ao dia);

– Tosse;

– Coriza;

– Dor de garganta;

– Dificuldade em respirar;

– Nas crianças, procure diarreia, má alimentação, letargia.

  • Continue sua rotina diária, mas evite lugares lotados e aumente seu espaço pessoal de outras pessoas, sempre que possível.

O que fazer se você desenvolver esses ou outros sintomas?

  • Isolar-se imediatamente e entrar em contato com a linha de apoio local do Coronavírus (COVID-19) ou um profissional de saúde ou Autoridade de Saúde Pública para obter instruções e testes.

AUTO-ISOLAMENTO: 

O que é e por que você precisa se auto-isolar?

Você não tem sintomas e

  • Apresenta um histórico de possível exposição ao novo coronavírus devido a viagens para fora do seu país de residência;
  • Você está em contato próximo com uma pessoa diagnosticada com COVID-19;
  • Sua Autoridade de Saúde Pública identificou você como um contato próximo de alguém diagnosticado com COVID-19;

O que fazer no auto-isolamento?

  • Fique em casa e monitore os sintomas do COVID-19, mesmo que leves, por 14 dias;
  • Evite o contato com outras pessoas para evitar a possível propagação do vírus;
  • Obtenha um suprimento de máscaras cirúrgicas (o suficiente para 14 dias);
  • Uso frequente de sabão, água e/ou desinfetante à base de álcool para limpar suas mãos;
  • Procure sintomas em si mesmo ou em um membro da família;
  • Mantenha contato com familiares e amigos por telefone, e-mail ou mídia social;
  • Peça a alguém para obter comida e outras necessidades para você e deixe-o na sua porta da frente;
  • Se você precisar visitar seu médico, evite usar transporte público, como metrô, táxi e carona compartilhada. Se for inevitável, use uma máscara e sente-se no banco de trás

O que fazer se você desenvolver sintomas?

  • Se você desenvolver sintomas, mesmo que leves, dentro de 14 dias após o retorno da viagem ou dentro de 14 dias após o último contato com um caso confirmado, isole-se imediatamente, fique em casa, evite outras pessoas e entre em contato com a linha direta local do Coronavírus (COVID- 19) ou um profissional de saúde ou Autoridade de Saúde Pública imediatamente, você pode precisar de um teste de laboratório.

Teste laboratorial:

Atualmente, o teste é recomendado para indivíduos que atendem aos critérios para casos suspeitos, e as amostras para testes laboratoriais podem ser coletadas em um ou em vários locais, dependendo dos critérios de diagnóstico, sendo colhidas amostras da garganta, do nariz e de saliva.

Os critérios para testes laboratoriais podem ser

Você será testado se o seu médico decidir que você atende a critérios, como:

  • Retornou do exterior nos últimos 14 dias e você desenvolve uma doença respiratória com ou sem febre;
  • Esteve em contato próximo com um caso confirmado de COVID-19 nos últimos 14 dias e você desenvolveu uma doença respiratória com ou sem febre;
  • Tem pneumonia grave adquirida na comunidade e não há causa clara;
  • Você é um profissional de saúde que trabalha diretamente com os pacientes e tem uma doença respiratória e febre.

TRATAMENTO:

A maioria das pessoas com Coronavírus (COVID-19) apresenta sintomas leves e se recupera por conta própria. Atualmente, não existem tratamentos específicos e nenhuma vacina que proteja contra o coronavírus (COVID-19); geralmente, a maioria das pessoas se recupera por conta própria. A recomendação atual é direcionada ao isolamento dos pacientes para impedir a propagação do vírus a outras pessoas e medidas de suporte para aliviar os sintomas, como:

  • Uso de analgésicos;
  • Xarope para a tosse ou outro medicamento para a tosse;
  • Descansar;
  • Manter a ingestão de líquidos;
  • Umidificador ou chuveiro quente podem ajudar com dor de garganta ou tosse;
  • Oxigênio suplementar em casos mais graves;

Se o seu médico achar que você pode receber tratamento em casa, ele poderá lhe dar instruções especiais, como, exemplo, se isolar o máximo possível da família enquanto estiver doente e ficar em casa por um período de tempo. Se você estiver muito doente, talvez precise ser tratado no hospital.

Nota: procure atendimento médico imediatamente se você ou algum membro da sua família desenvolver sinais de alerta de emergência para Coronavírus (COVID-19).

Os sinais de alerta de emergência incluem, entre outros:

  • dificuldade em respirar ou falta de ar;
  • Dor persistente ou pressão no peito;
  • Nova confusão, sonolência ou dificuldade em se despertar;
  • Lábios ou rosto azulados;

Há um esforço global em larga escala para encontrar várias opções de tratamento e desenvolver vacinas para o coronavírus (COVID-19). Até o momento, não existem medicamentos ou vacinas comprovadamente eficazes para o tratamento ou prevenção do coronavírus (COVID-19), mas existem algumas evidências de que certos medicamentos podem ter possíveis efeitos positivos em relação à prevenção de doenças ou tratamento dos sintomas de Coronavírus. COVID-19 e estão passando por ensaios clínicos antes da aprovação para uso em seres humanos.

Isolamento

O que é por que você precisa de isolamento?

Você:

  • Foi diagnosticado com coronavírus (COVID-19);
  • Apresenta sintomas, mesmo que leves e está aguardem os resultados de um teste de laboratório para coronavírus (COVID-19);
  • Foi aconselhado a se isolar em casa por qualquer outro motivo por sua Autoridade de Saúde Pública.

O que fazer no isolamento?

  • Fique em casa até que a Autoridade de Saúde Pública avise que você não corre mais o risco de espalhar o vírus para outras pessoas;
  • Evite o contato com outras pessoas para ajudar a prevenir a propagação de doenças em sua casa e na sua comunidade, principalmente para aqueles de grupo de risco, como adultos mais velhos ou pessoas clinicamente vulneráveis;
  • Mantenha contato com familiares e amigos por telefone, e-mail ou mídia social;
  • Se possível, mantenha as rotinas diárias normais; comer saudavelmente e exercitar-se;

O que fazer se os sintomas piorarem?

  • Procure atendimento médico imediato. Se o 193 estiver ativado, explique seus sintomas e motivo de isolamento ao operador.

Coronavírus (COVID-19) e Saúde mental: 

Esse surto de coronavírus (COVID-19) afeta a todos, interrompendo vidas e rotinas em todo o mundo. É muito importante durante esse período que, ao tomar medidas preventivas, sua saúde mental e a de seus amigos e familiares, especialmente crianças e adolescentes, não sejam esquecidas. O surto de COVID-19 levou ao estresse, pânico, medo e aumento da ansiedade, o que é compreensivelmente uma reação natural a esse tipo de situação.

Embora a ansiedade seja a resposta natural, funcionando como um sistema de alerta que nos ajuda a permanecer vigilantes e responder a perigos potenciais, ela não deve aumentar para interferir na saúde e no bem-estar diários. O estresse na saúde mental pode nos afetar de várias maneiras e todos reagem de maneira diferente, como:

  • Medo e preocupação com sua própria saúde e com seus entes queridos;
  • Compra de pânico (por exemplo, papel higiênico e enlatados);
  • Dificuldade de concentração ou sono;
  • Mudanças nos padrões alimentares;
  • Frustração, irritabilidade ou raiva;
  • sentir-se impotente;
  • Maior uso de álcool, tabaco ou outras drogas;

Como lidar com o estresse, ansiedade ou angústia?

  • Lembre-se de que o COVID-19 é uma doença grave, mas temporária, e que com o tempo a vida voltará ao normal;
  • Reserve um tempo para considerar como tirar proveito da flexibilidade inesperada em sua rotina diária;
  • Crie um cronograma para você e seus filhos;
  • Isolamento social significa distanciamento físico. Fique conectado com seus amigos, familiares e outras pessoas por meio de bate-papo por telefone, texto, FaceTime ou vídeo;
  • Tente se envolver em outras atividades que você goste;
  • Faça pausas, ouvir repetidamente sobre a pandemia pode ser perturbador;
  • Evite rumores e notícias falsas;
  • Mantenha-se conectado às notícias e recomendações oficiais de saúde para obter informações precisas.
  • Cuide do seu corpo:
  • Coma refeições saudáveis ​​e equilibradas;
  • Exercite-se regularmente (incluindo exercícios de alongamento e respiração profunda);
  • Durma bastante;
  • A meditação da atenção plena pode ajudar a reduzir o estresse.
  • Evite aumentar o uso de álcool ou outras drogas e fumar

Crianças e adolescentes:

  • Tente não passar sua ansiedade para seus filhos;
  • Garanta a seus filhos que eles estão seguros com as medidas que estão sendo tomadas para controlar a pandemia;
  • Os pais devem reservar um tempo para conversar com as crianças sobre o que está acontecendo, ouvir suas preocupações e responder suas perguntas de forma realista;
  • Mantenha rotinas e horários regulares, tanto quanto possível, ou ajude a criar novos hábitos em um novo ambiente, incluindo escola/aprendizado, bem como tempo para brincar e relaxar com segurança;
  • Incentive as crianças a desenhar, escrever ou fazer um diário para que possam expressar seus sentimentos;
  • Os pais ensinam boas práticas de lavagem das mãos e informam às crianças que todos os adultos de suas vidas estão trabalhando duro para mantê-las em segurança;
  • Dê a eles amor e atenção extras.

Esteja preparado:

COVID-19 é uma pandemia. O vírus está se espalhando ativamente por todo o mundo e afetando quase todos os setores da vida e dos negócios. Prepare-se para esta pandemia. Familiarize-se com ferramentas de auto-avaliação e auto-monitoramento. Esteja preparado para um possível auto isolamento ou isolamento obrigatório dentro de sua casa por até 14 dias; certifique-se de que você ou um membro da família tenha suprimentos suficientes para evitar sair de casa caso fique doente ou precise se isolar. Estar preparado para esse surto pode ajudar a proteger sua saúde e a saúde daqueles com quem você se importa no caso de um surto de COVID-19 em sua comunidade.

Fatores de Risco e Prevenção:

FATORES DE RISCO:

Os fatores de risco para COVID-19 parecem incluir:

  • Viagem recente ou residência em uma área com disseminação contínua do COVID-19, conforme determinado pela ANVISA ou Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS);
  • Contato próximo com alguém que tenha um caso provável ou confirmado de infecção por COVID-19;
  • Idosos (maiores de 65 anos);
  • Sistema imunológico comprometido devido a:
  • Quimioterapia ou radioterapia;
  • Transplante de órgão ou medula óssea;
  • Uso de altas doses de corticosteroides;
  • Infecção por HIV ou AIDS.
  • Pessoas que têm condições médicas crônicas graves, incluindo:
  • Doença cardíaca;
  • Diabetes;
  • Doença pulmonar, ex.: asma.

PREVENÇÃO:

Tome precauções de bom senso para ajudar a prevenir a propagação de todas as doenças infecciosas, incluindo o COVID-19. A melhor maneira de prevenir doenças é evitar ser exposto ao vírus e seguir os conselhos precisos de saúde pública da OMS e das autoridades de saúde locais.

  • Evite contato próximo com pessoas doentes, se possível;
  • Lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos de cada vez, especialmente depois de estar em um local público ou depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar;
  • Use um desinfetante para as mãos à base de álcool que contenha pelo menos 60% de álcool, se sabão e água não estiverem disponíveis. Cubra todas as superfícies das mãos e esfregue-as juntas até que estejam secas;
  • Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Cubra a boca e o nariz com um lenço de papel ou use a parte interna do cotovelo ao tossir ou espirrar;
  • Não reutilize tecidos após tossir, espirrar ou assoar o nariz, jogar tecidos usados ​​em um cesto de lixo e lave as mãos depois;
  • Tanto quanto possível, mantenha uma distância de pelo menos 1-2 metros entre você e os outros;
  • Limpe e desinfete as superfícies que são frequentemente tocadas;
  • Evite todas as viagens não essenciais;
  • Distanciamento social (físico);
  • Fique em casa;
  • Evite grandes reuniões públicas, se não forem essenciais;
  • Minimize o contato físico, especialmente com pessoas de maior risco, como idosos e pessoas com saúde debilitada
  • Evite compartilhar alimentos, pratos, copos, roupas de cama e outros utensílios domésticos se estiver doente.

Etapas para proteger outras pessoas:

  • Fique em casa se estiver doente;
  • Use uma máscara facial se estiver doente quando estiver perto de outras pessoas (por exemplo, compartilhando um quarto ou veículo) e antes de entrar no escritório de um profissional de saúde;
  • Se, por algum motivo válido, você não conseguir usar uma máscara facial (por exemplo, dificuldade para respirar), faça o possível para cobrir suas tosses e espirros;
  • Limpe e desinfete diariamente as superfícies tocadas com frequência. Ex.: mesas, maçanetas, interruptores de luz, bancadas, pegas, mesas, telefones, teclados, banheiros, torneiras e pias;
  • Se as superfícies estiverem sujas, limpe-as: use detergente ou sabão e água antes da desinfecção;
  • Siga os critérios de auto-isolamento;
  • Evite receber visitantes em sua casa;
  • Se possível, peça para que suprimentos sejam entregues e requeste serviços via telefone ou peça algum conhecido que os faça.

Resultado:

O surto de COVID-19 teve um impacto significativo na sociedade, não apenas do ponto de vista da saúde/assistência à saúde, mas também houve um tremendo impacto na socialização e economia, o último criando uma crise econômica e trabalhista global. 

Felizmente, a maioria das pessoas infectadas com coronavírus apresenta sintomas leves de resfriado/gripe e se recupera por conta própria. No entanto, toda pessoa infectada corre o risco de uma alteração aguda dos sintomas com o desenvolvimento de doenças respiratórias mais graves. As informações atuais sugerem que os idosos e pessoas com condições crônicas de saúde, particularmente aqueles com o sistema imunológico enfraquecido, correm maior risco de desenvolver doenças ou complicações mais graves, como:

  • Pneumonia;
  • Bronquite;
  • Insuficiência de órgãos, como insuficiência renal;
  • Morte.

Coronavírus (COVID-19): Mito vs. Fato

MITO: O novo coronavírus foi criado deliberadamente em laboratório e liberado no meio ambiente.

As autoridades acreditam que o novo surto de coronavírus ocorreu quando um vírus que geralmente ocorre em um animal, como um porco, pássaro ou morcego, passou por mudanças naturais que permitiram a transferência para humanos.

MITO: O vírus COVID-19 pode não sobreviver em áreas com climas extremos, por exemplo climas quentes e úmidos.

A OMS informa que não há motivos para acreditar que o clima afetará o novo coronavírus. Como a temperatura normal do corpo humano permanece em torno de 36,5 °C a 37 °C, independentemente da temperatura externa ou do clima, o vírus pode ser compartilhado entre pessoas em contato próximo.

MITO: O vírus pode ser transmitido por mosquitos.

No momento, não há dados que sugiram que o COVID-19 ou outros coronavírus semelhantes (por exemplo, SARS, MERS) sejam transmitidos por mosquitos ou outros parasitas.

MITO: Os jovens não são suscetíveis.

Pessoas de todas as idades podem ser infectadas pelo coronavírus (COVID-19). Pessoas idosas e pessoas portadoras de doenças crônicas, como asma, diabetes e doenças cardíacas, parecem ser mais vulneráveis ​​às doenças graves que podem ser causadas pelo novo coronavírus.

MITO: Os secadores de mãos são eficazes para matar o novo coronavírus.

Não, o calor dos secadores de mãos não é eficaz para matar o COVID-19.

MITO: A pulverização de álcool ou cloro em todo o corpo mata o novo coronavírus.

Não. Pulverizar álcool ou cloro no seu corpo não matará o COVID-19. De fato, a pulverização de tais substâncias pode ser prejudicial para as mucosas delicadas, incluindo olhos, nariz e boca.

MITO: Alguns antibióticos são eficazes na prevenção e tratamento do novo coronavírus.

Não. Os antibióticos não funcionam contra vírus, como o COVID-19, eles apenas trabalham contra bactérias.

MITO: Existem medicamentos específicos para prevenir ou tratar o novo coronavírus.

Até o momento, não há medicamentos específicos recomendados para prevenir ou tratar o vírus que causa o COVID-19.

MITO: Tomar um banho quente evita o COVID-19?

Tomar um banho quente não impedirá que você pegue o COVID-19. Independentemente da temperatura do seu banho, a temperatura normal do seu corpo permanece entre 36,5 °C e 37 °C.

MITO: Existe uma vacina disponível para curar o COVID-19.

Não. Infelizmente, não há vacina para o Coronavírus (COVID-19) no momento, mas os cientistas já começaram a trabalhar no desenvolvimento de uma vacina. No entanto, levará algum tempo para desenvolver uma vacina segura e eficaz em seres humanos.

MITO: A lavagem regular do nariz com soro fisiológico pode ajudar a prevenir a infecção pelo novo coronavírus?

Não. Embora existam evidências limitadas de que enxaguar regularmente o nariz com solução salina pode ajudar as pessoas a se recuperarem mais rapidamente do resfriado comum, não há evidências de que enxaguar regularmente o nariz com solução salina protege as pessoas contra infecções pelo novo coronavírus.

MITO: Comer alho ajuda a prevenir a infecção pelo novo coronavírus

Não. A OMS informa que não há evidências para sugerir que comer alho protegerá as pessoas do atual surto de COVID-19.

MITO: Receber uma carta ou pacote da China deixará uma pessoa doente.

Não. Atualmente, a partir dos dados de pesquisa disponíveis, as pessoas que recebem pacotes da China não correm o risco de contrair o novo coronavírus. Com base em análises anteriores, a OMS informou que o coronavírus não sobrevive em cartas e embalagens por um período prolongado.

Para qualquer pessoa preocupada com a contaminação de uma superfície, a agência de saúde aconselha a limpeza com um desinfetante. Se alguém já o tocou antes de limpá-lo, lave imediatamente as mãos com um sabonete à base de álcool ou com água e sabão.

MITO: Os scanners térmicos podem diagnosticar pessoas infectadas com o novo coronavírus.

Não. Os scanners térmicos podem detectar pessoas que estão com febre por qualquer causa, como gripe sazonal, e não são específicas para as pessoas infectadas com COVID-19.

Lavar as mãos

Por que é importante lavar as mãos cuidadosamente e com frequência?

A pesquisa científica mostra que a lavagem regular das mãos melhora os resultados de saúde e é a melhor e mais eficaz maneira de reduzir a propagação de infecções. 

Qual é a melhor maneira de lavar as mãos?

É importante usar água limpa, sabão líquido ou em barra. O sabão comum é bom, pois o sabão antibacteriano não mostrou nenhum aumento na proteção.

Etapa 1: molhe as mãos

Etapa 2: aplique sabão e esfregue as palmas das mãos

Etapa 3: lave entre os dedos – não esqueça os polegares!

Etapa 4: lave as costas das mãos

Etapa 5: lave as unhas esfregando as pontas dos dedos na palma da mão oposta

Etapa 6: enxague abundantemente

Etapa 7: seque com uma toalha limpa ou seque ao ar

Etapa 8: feche as torneiras usando uma toalha para evitar a contaminação das mãos e descarte a toalha de papel imediatamente

Seguir esse método garantirá que você lave os 20 segundos mínimos recomendados (aproximadamente o tempo necessário para cantar “Parabéns a Você” duas vezes).

Desinfetante para as mãos

O desinfetante para as mãos é tão eficaz quanto lavar com água e sabão?

Se você não tiver acesso à água e sabão e as mãos não estiverem visivelmente sujas, o desinfetante para as mãos é uma maneira eficaz de limpar as mãos, desde que contenha pelo menos 60% de álcool. Use produto suficiente para cobrir totalmente as mãos e use o mesmo método para lavar as mãos até que estejam secas.

Nota: sempre lave as mãos antes de comer, pois esfrega as mãos com produtos à base de álcool não mata alguns germes que podem causar diarreia.

Evite tocar no rosto, esfregar o nariz ou os olhos, roer as unhas entre lavar as mãos ou desinfetá-las.

Distanciamento social

O que é Distanciamento Social?

Distanciamento social é a prática de evitar grandes grupos de pessoas, o que aumentaria a probabilidade de entrar em contato com alguém que está doente ou é portador do vírus.

É demonstrado que o vírus viaja até 2 metros (6 pés) nas gotículas que são produzidas quando uma pessoa infectada fala, tosse ou espirra antes de pousar em superfícies.

Ficar a pelo menos 2 metros (6 pés) de distância de outras pessoas em público ajudará a protegê-lo e retardará a propagação do novo coronavírus.

Por que o distanciamento social é importante?

  1. A maneira como o novo coronavírus se espalha é através do contato pessoa a pessoa com alguém que tem o vírus
  2. O tempo médio necessário para as pessoas desenvolverem sintomas após a exposição ao vírus é de 2 a 14 dias. Isso significa que as pessoas podem estar infectadas e espalhar o vírus por dias antes mesmo de perceberem que estão doentes. É por isso que um período de quarentena de 14 dias foi recomendado para quem viajou recentemente ou entrou em contato com alguém infectado.
  3. Estima-se que aproximadamente 70% da população contrairão o novo coronavírus e a única maneira de impedir que os sistemas de saúde sejam sobrecarregados por pessoas com sintomas graves é desacelerar a propagação do vírus.
  4. A maioria das pessoas saudáveis ​​terá sintomas leves a moderados. No entanto, qualquer pessoa com problemas de saúde crônicos e sistemas imunológicos comprometidos tem maior probabilidade de apresentar sintomas graves que requerem hospitalização, caso contraiam o coronavírus e desenvolvam COVID-19.
  5. O Distanciamento Social protege aqueles que estão clinicamente comprometidos e têm sistemas imunológicos mais fracos de contrair o coronavírus e desenvolver sintomas graves e com risco de vida de COVID-19

eDucate acknowledges Thiago Coimbra for translating this COVID-19 information.  Thank-you for your contribution and commitment to ensuring everyone has access to accurate health information during this pandemic.